Palavra-chave 

Avaliação do produtoAjuda 

Selecione o mínimo de estrelas que o produto deve possuir.

  •  

Variação de preço 

Arraste os marcadores para definir a faixa de preço e clique em filtrar.

 
R$a R$
Ordenado por: 
TV

Produto patrocinado

Philips 32PHG5509 LED Plana 32 polegadas

Nota 9.214 avaliações

  • Formato:  Widescreen - 16:9 
  • Tecnologia:  Smart TV 
  • Aplicativos:  Catch-up TV,  Facebook,  MyRemote,  Netflix,  Spotify,  Wi-Fi Miracast,  Youtube 
a partir deR$ 939,64até  R$ 1.139,05
TV

Produto patrocinado

LG Cinema 3D 47LA6130 LED Plana 47 polegadas

Nota 9.816 avaliações

  • Formato:  Widescreen - 16:9 
  • Tecnologia:  3D,  Dual Play 
  • Funções:  Ajuste de Formato de Tela,  Controle Remoto,  DTV 
a partir deR$ 2.393,14até  R$ 2.659,05
TV

LG 32LB580B LED Plana 32 polegadas

Nota 8.89 avaliações

  • Tecnologia:  Smart TV 
  • Aplicativos:  Skype 
  • Entradas HDMI:  3 
a partir deR$ 939,64até  R$ 1.281,55
TV

LG 42LB5800 LED Plana 42 polegadas

Nota 9.47 avaliações

  • Formato:  Widescreen - 16:9 
  • Tecnologia:  Smart TV 
  • Aplicativos:  Netflix,  Youtube 
a partir deR$ 1.599,00até  R$ 1.804,05
TV

Samsung Série 5 UN40H5550 LED Plana 40 polegadas

Nota 2.01 avaliação

  • Formato:  Widescreen - 16:9 
  • Tecnologia:  Smart TV 
  • Aplicativos:  Facebook,  Netflix,  Skype,  Youtube 
a partir deR$ 1.367,14até  R$ 1.804,05
TV

Samsung Smart TV UN60H6300AF LED Plana 60 polegadas

Nota 0

  • Tecnologia:  Smart TV 
  • Funções:  Auto Channel Search,  Eco sensor,  Sleep 
  • Entradas HDMI:  4 
a partir deR$ 4.499,10até  R$ 5.699,05
TV

Sony KDL-60W605B LED Plana 60 polegadas

Nota 0

  • Alta Definição:  Full HD 
  • Entradas HDMI:  4 
  • Conexões:  USB,  Wi-Fi 
a partir deR$ 4.899,00até  R$ 6.269,05
TV

LG 42LB6500 LED Plana 42 polegadas

Nota 10.010 avaliações

  • Formato:  Widescreen - 16:9 
  • Tecnologia:  3D 
  • Aplicativos:  Skype 
a partir deR$ 1.879,51até  R$ 2.089,05
TV

Sony Bravia KDL-50W805B LED Plana 50

Nota 8.29 avaliações

  • Formato:  Widescreen - 16:9 
  • Tecnologia:  3D,  DLNA 
  • Aplicativos:  Skype 
a partir deR$ 3.199,00até  R$ 3.799,05
TV

LG 39LB5800 LED Plana 39 polegadas

Nota 9.46 avaliações

  • Formato:  Widescreen - 16:9 
  • Tecnologia:  Smart TV 
  • Aplicativos:  HuluPlus,  Netflix,  Youtube 
a partir deR$ 1.367,14até  R$ 1.547,55
TV

LG Cinema 3D Smart TV 55LB6500 LED Plana 55 polegadas

Nota 8.63 avaliações

  • Formato:  Widescreen - 16:9 
  • Tecnologia:  3D,  Dual Play,  Smart Mobile Link,  Smart TV,  Time Machine 
  • Funções:  Função Torcida 
a partir deR$ 3.999,00até  R$ 4.559,05
TV

Samsung Smart TV UN55HU7000 LED Plana 55 polegadas

Nota 8.02 avaliações

  • Tecnologia:  Smart TV 
  • Funções:  Sleep,  Varios idiomas 
  • Entradas HDMI:  4 
a partir deR$ 5.899,00até  R$ 7.124,05
TV

LG 47LB7000 LED Plana 47 polegadas

Nota 10.01 avaliação

  • Tecnologia:  3D,  Conversor 2D a 3D 
  • Aplicativos:  Skype,  Smartphone Remote Support 
  • Funções:  3D,  Auto Volume (AVL),  Closed Caption,  Control de voz,  Conversor TV Digital Interno,  Guia Eletrônico de Programação,  Sleep 
a partir deR$ 2.606,90até  R$ 2.896,55
TV

LG 32LB550B LED Plana 32 polegadas

Nota 0

  • Entradas HDMI:  2 
  • Conexões:  USB 
a partir deR$ 896,90até  R$ 1.110,64

Guia de Compra - TV

Como Escolher TV LED

Já se foi o tempo em que o único quesito para se preocupar na hora de comprar uma televisão era o tamanho dela. Hoje, há inúmeros recursos oferecidos e diferentes níveis de tecnologias envolvidas em um único produto.


Antes de comprar uma TV LED é importante que o consumidor saiba que está comprando na verdade uma TV LCD. Trata-se de uma nomenclatura usada pelos fabricantes para designar a variação existente entre o tipo de tecnologia de iluminação utilizada para iluminar o painel LCD. A luz emitida pelas TVs de LED é irradiada por meio de lâmpadas de LED. Já as TVs LCD comuns utilizam lâmpadas fluorescentes para iluminar o próprio painel.


Essa é uma característica que faz com esse tipo de TV se adapte melhor aos ambientes mais iluminados, fazendo com que a incidência de reflexo seja menor. Entretanto, uma ressalva deve ser feita quanto a essas duas tecnologias. O ângulo de visão é consideravelmente mais limitado em relação às TVs de plasma e de tubo.


Tamanho

Na hora de comprar qualquer aparelho televisor é preciso avaliar primeiramente o lugar no qual o aparelho escolhido ficará instalado. O mais recomendado para isso é consultar o próprio manual da TV de LED, verificando assim a distância mais adequada para posicioná-la, também levando em consideração a altura dos olhos.


Outra característica relacionada ao tamanho das TVs LED é a espessura desses televisores. Eles são impressionantemente finos, o que os torna leves o bastante para serem instalados nas paredes por exemplo.


No mercado é possível encontrar TVs de LED que partem de 22 e chegam a até mesmo 50 polegadas. Se o intuito é substituir uma da TV de tubo por uma LED no padrão widescreen, é importante considerar um aparelho de tamanho maior em relação ao antigo para obter mais conforto.


Resolução

Após se decidir quanto ao tamanho do aparelho, o mais importante parâmetro para escolher uma TV LED é a qualidade de imagem. A resolução responde por grande parte desse quesito e ela é determinada pelo número de pontos que compõe a imagem, os pixels. Quanto maior a quantidade de pixels, melhor será a qualidade da imagem exibida na tela.


Em qualquer aparelho televisor, a resolução segue padrões de imagem pré-estabelecidos pelos fabricantes. Os padrões de resolução mais utilizados pelas TVs LED são o 720p e o 1080p. Os modelos de TV que recebem a nomenclatura de "Full HD" são aqueles com a resolução de 1980 x 1080 pixels o que corresponde ao padrão 1080p.


Conexões

O usuário que pretende conectar uma série de outros dispositivos a sua TV LED necessita ter diversas entradas diferentes em seu aparelho. As entradas do tipo HDMI permitem que diversos equipamentos sejam conectados ao televisor, como blu-ray players, vídeo games e home theaters. Quanto mais entradas HDMI a TV LED escolhida tiver, maior o número de equipamentos o usuário poderá utilizar.


Outro tipo de conexão bastante útil nos dias de hoje é a conexão USB, permitindo que o televisor passe a reproduzir fotos, vídeos e outros arquivos de um pen drive por exemplo.


Consumo de energia

Outro fator que deve-se levar em conta na hora de escolher a TV é o quanto ela gasta de energia elétrica. A grande vantagem da TV de LED é que o consumo de energia é cerca de 40% menor em relação aos antigos televisores CRT ou de tubo.


Smart TV

Para quem pode gastar um pouco a mais, já estão disponíveis no mercado os televisores com conexão Wi-Fi, capazes de acessar a internet. Esse tipo de televisor é conhecido como Smart TV. Este é um recurso interessante para quem quer fazer o download de filmes, séries e aplicativos sem ter de sair do sofá. É possível também acessar portais de notícias ou assistir vídeos pelo Youtube diretamente de sua TV LED.


O que é

A TV LED nada mais é do que uma TV LCD com a tecnologia LED. Como assim? A TV LED não é um novo tipo de televisão, mas sim um modelo LCD iluminado com diodos emissores de luz (LEDs), ao invés do padrão de luzes fluorescente de cátodo frio (CCFLs). Ou seja, pode-se denominá-la como tela de LCD com iluminação por LED.


Essa nova geração combinou as tecnologias LCD e Plasma, cujos televisores são finos, de alta definição e digitais, que proporcionam melhor qualidade gráfica, menor consumo de energia, maior durabilidade, robustez e rapidez no ligar e desligar.


A tecnologia LED não é novidade. O técnico de áudio russo Oleg Vladimirovich Lozev criou o LED em 1920, como uma fonte de luz eletrônica. Somada à tecnologia dos televisores LCD, a antiga criação do LED por Oleg deu origem à TV LED. Os LEDs não são encontrados apenas em TVs, mas também em brinquedos, eletrodomésticos, dispositivos móveis e digitais, entre outros.


O processo de decodificação gráfica da tecnologia LED captura as cores naturais com a produção de pretos e brancos mais vivos, além de contrastar entre cores escuras e vívidas. Comparado-a ao tamanho do pixel de uma TV LCD normal, o bulbo do LED é muito maior. As LCDs têm limitações de espessura da tela e problemas para criar fundos pretos, o que diminui a qualidade gráfica, reduzindo a percepção do brilho da imagem da TV.


A principal vantagem da iluminação LED é que ela pode ser usada para aumentar os níveis de contraste ao desligar os bulbos selecionados, mas, mesmo com essa característica positiva, algumas partes da tela podem ficar muito escuras, enquanto outras permanecem extremamente claras. Isso acontece por culpa do painel que é dividido em pequenos segmentos, dispersando a luz.


Os mercados americano, japonês e europeu já têm acesso a um novo tipo de televisor, denominado OLED. É um grande avanço tecnológico, que usa pixels auto-iluminados ao invés de diodos emissores de luz.


Tipos

O que define uma TV LED é o tipo de iluminação traseira. As principais e mais comuns são: Edge-lit (iluminação pela borda) e local-dimming (redução local).


Na Edge-lit, os LEDs são dispostos em faixas ao longo das quatro arestas da TV. A luz guia o brilho em direção ao centro da tela, formando as imagens. Os displays Edge-lit são mais finos, consomem menos energia que o formato LCD convencional e possuem menor preço se comparado ao local-dimming. Entretanto, a qualidade da imagem não é tão boa quanto a produzida pelo local-dimming.


A denominação de local-dimming vem da quantidade de lâmpadas LED que são dispostas na parte traseira do televisor. Apesar da boa qualidade gráfica, o modelo com iluminação local-dimming é mais caro e visualmente mais grosso.


Geração 7

Muitos modelos de TV LED acompanham a qualidade de imagem e recursos otimizados da geração 7. Ela oferece conexão USB 2.0, entradas HDMI, imagem Full HD, som Surround, decodificador para TV digital e a entrada Media 2.0. É possível também transformar a sua TV em uma biblioteca interativa e internet TV. Basta sincronizar o conteúdo multimídia do computador através da conexão wireless, que reproduz filmes em alta definição pela internet, e ainda possui navegadores em flash.


Características

Uma das características mais importantes dos televisores de LED é a espessura da tela combinada à qualidade gráfica, que é obtida através da boa iluminação de perímetro. Para obter melhores resultados de contraste e brilho, deve-se considerar a iluminação Edge-lit e local-dimming.


Há uma extensa variedade de tamanhos de TVs LED, que podem ter menos de 19 polegadas ou mais de 50, a escolha depende da necessidade do consumidor. É importante ressaltar que nem sempre o maior tamanho oferece o melhor resultado, já que a qualidade do produto está fatalmente ligada aos recursos de iluminação, formato de imagem, configurações de vídeo, entre outros.


Alguns televisores têm funções a mais ou a menos e isso, é claro, encarece ou diminui o valor do produto. As mais variadas entradas, como a HDMI (que é extremamente importante, já que conecta a sua TV com dispositivos móveis, computadores, notebooks, entre outros eletrônicos), USB, HDTV (para quem busca melhor qualidade de vídeo e imagem), S-Vídeo (sinal de vídeo analógico que carrega dados de vídeo com dois sinais separados), vídeo componente (sinal de vídeo dividido em dois ou mais componentes), vídeo composto (informações de vídeo são combinadas em um único sinal, como acontece com os sistemas NTSC e PAL), D-Sub (entrada analógica), DVI-D (entrada digital) etc, podem ser combinadas em um único aparelho, tornando-o mais completo e, consequentemente, mais caro, ou ter apenas duas ou três opções, limitando as possibilidades do televisor.


Os formatos de imagem Widescreen e Convencional (full screen) também fazem parte das configurações específicas de uma TV, sendo ela LED ou não. E a escolha da mesma influencia na qualidade da imagem também. O formato Widescreen é mais apropriado para quem costuma assistir a filmes ou vídeos em alta definição, porque o formato comprime a imagem e melhora a qualidade da resolução. Diferente do convencional (full screen), que estica a imagem e, por consequência, perde certa qualidade.


Existe uma vasta quantidade de características, que são atualizadas dia após dia pelos fabricantes por demanda de mercado ou por necessidade dos consumidores. Por isso, não deixe de pesquisar sobre novos recursos ou atualizações de softwares e funções disponíveis. A qualidade da imagem tende a melhorar cada vez mais, os aparelhos ocuparão menos espaço físico e o investimento não será tão absurdo como ainda é para certos produtos.


Marcas

Sony

Fundada em 1946, a Sony, multinacional japonesa, fabrica aparelhos de televisão, som, DVDs, CDs, câmeras digitais, softwares, videogames, entre outros.


Samsung

Fundada em 1936, a Samsung é uma corporação multinacional com sede em Seul, Coreia do Sul. A produção da empresa é segmentada em diversos ramos da área de tecnologia da informação, que inclui computadores, dispositivos móveis, televisores, entre outros.


LG

A LG é uma multinacional sul-coreana fundada em 1947, que atua em diversos segmentos, como: química, energia, maquinaria, metais, finanças, eletrônicos, periféricos, dispositivos móveis, serviços, entre outros. No Brasil, a empresa tem indústrias em Manaus e Taubaté, além de um escritório central e centro de pesquisa e desenvolvimento em São Paulo. A LG Eletronics é o principal ramo da empresa, que opera em quatro unidades de negócios: mobilidade, comunicação, ferramenta e mídia digital.


Philips

A Philips é uma empresa holandesa criada pelo engenheiro físico Gerard Philips junto com seu irmão Anton e seu pai Benjamin Frederik David, que iniciaram as atividades ao produzirem lâmpadas incandescentes. A multinacional desenvolve produtos eletrônicos e de cuidados pessoais, eletrodomésticos, dispositivos portáteis, acessórios e serviços.


A Philips do Brasil atua no país há 83 anos, através de sua marca principal e sob a marca Walita, que é a divisão da Philips para eletrodomésticos.


Semp Toshiba

A Semp Toshiba, fusão das marcas SEMP (Sociedade Eletro Mercantil Paulista) e Toshiba, foi fundada em 1942, em São Paulo. Fabrica uma série de produtos eletrônicos, como televisores, monitores, notebooks, entre outros. Para sua linha de TVs, computadores e notebooks, utiliza a marca STi.


AOC

A AOC pertence à marca TPV Technology Limited, uma antiga fabricante de monitores LCD para computadores e televisores. A empresa desenvolve, entre outros produtos eletrônicos, monitores CRT, LCD, TVs LCD e unidades All in One.


H-Buster

Fundada em 1997, na cidade de São Paulo, é uma empresa fabricante de eletroeletrônicos, equipamentos de áudio e vídeo automotivos, televisores, computadores portáteis, amplificadores, leitores de CD e DVD, entre outros.


Em 2005, transferiu sua sede para Cotia, interior do estado. Possui três fábricas, sendo duas na própria cidade de Cotia e uma em Manaus.


Philco

Fundada em 1892, a Philco é uma empresa norte-americana de produtos eletrônicos, como televisores, notebooks, netbooks, entre outros.


A Philips usa a marca Philco em eletrodomésticos promocionais e licenciou o nome de marcas próprias e produtos eletrônicos de consumo do estilo retro. No Brasil, a marca pertence à Britânia Eletrodomésticos.


Panasonic

Fundada em 1918, a Panasonic, empresa japonesa fabricante de eletroeletrônicos, entrou no mercado sob o nome de Matsushita Electric Industrial, criada pelo Sr. Konosuke Matsushita. A empresa fabrica produtos eletrônicos, como televisores, aparelhos de som, rádios, entre outros.


CCE

A CCE, empresa nacional de Comércio de Componentes Eletrônicos, foi criada em 1964 com o intuito de importar e comercializar componentes eletrônicos, mas logo depois, em 1971, iniciou a fabricação de equipamentos eletrônicos completos.


TV LED x TV OLED

A tecnologia OLED chegou ao mercado com o intuito de brigar de frente com a sua irmã, não gêmea, LED. Ambas as tecnologias transformam energia elétrica em luz, mas, diferente da OLED, a LED necessita de um bulbo para a iluminação visível e utilizável, enquanto a outra usa pixels orgânicos que se auto-iluminam. Essa característica faz com as telas das TVs OLED sejam ultrafinas e flexíveis.


O OLED é composto por cinco camadas orgânicas baseadas em carbono, inseridas em uma camada de vidro acrílico resistente, que é usada para proteger os materiais internos. Esses compostos emitem luz vermelha, verde e azul em resposta a uma corrente elétrica. Imagine um fio de cabelo. Todo esse processo é 200 vezes mais fino.


Ao comparar a qualidade de imagem da TV LED com a OLED, a última ganha em disparada. A OLED se sobressai em níveis de preto, contraste (cem vezes maior) e brilho. Os pixels trabalham juntos para produzir as cores, criando entonações mais vivas. O resultado é muito mais preciso e realista do que o obtido em TVs LED.


O real problema dos televisores OLED é o valor. Como a tecnologia é nova, os preços ainda estão acima da média, e o investimento pode ser exagerado para quem não busca tudo isso em uma TV. Mas isso é questão de tempo. Quando a tecnologia chegar ao Brasil e em outros países – a TV OLED está disponível apenas nos Estados Unidos, Japão e em alguns países da Europa –, o produto tende a se popularizar e, consequentemente, o preço cairá.


Curiosidade

70" em uma única TV LED

Já imaginou ter uma TV de 70 polegadas na sua sala de estar? Pois bem, esse desejo já pode se tornar realidade. A Sharp, empresa japonesa de eletrônicos, lançou uma TV com essa configuração, que conta com a tecnologia Quattron Quad Pixel – que produz uma maior quantidade de resolução por quadro de imagem -, além do aplicativo AQUOS Advantage Live, que permite conectividade Wi-Fi e atendimento direto com a empresa. O único defeito do televisor é o preço, afinal, essa imensidão não sairia tão barata para o bolso do consumidor.




Como Escolher TV de Plasma

Com tantos novos recursos disponíveis, escolher uma TV certamente ficou um pouco mais complicado. Apesar disso, escolher uma TV de Plasma não é uma tarefa tão complexa quanto aparenta. A principal característica desse tipo de TV são suas imagens que tem nitidez impressionante. Se estiverem posicionadas corretamente no ambiente, elas são uma ótima opção para ver filmes até mesmo com imagens em 3D.


Tamanho

O tamanho é um aspecto crucial na hora de comprar um televisor, especialmente porque o aparelho deve sempre estar de acordo com o local onde ele ficará instalado. A distância entre o espectador e o aparelho de TV é determinante para o conforto de quem vê as imagens.


Por ser capaz de atingir tamanhos maiores que as TVs LCD e LED a TV de Plasma é especialmente recomendada para ambientes maiores. No mercado, o tamanho das TVs de plasma varia entre 40 e 62 polegadas.


Como a tela da TV de plasma é widescreen, a visualização de filmes em alta definição é muito mais realista. Isso acontece porque a tela panorâmica tem laterais mais afastadas, mas a distância entre as extremidades superior e inferior não aumentam na mesma proporção.


Brilho e contraste

Escolher uma nova TV de plasma exige que o usuário atente-se também aos valores de brilho e contraste. Para obter um nível de fidelidade aceitável, recomenda-se o uso de telas com contraste de pelo menos 500:1 ou 10.000:1 se a medida for denominada como “contraste dinâmico”. Já em relação ao brilho, a taxa ideal é de, pelo menos, 250 cd/m² (candela por metro quadrado).


Taxa de atualização

Para quem deseja alta definição de imagem, o tempo de resposta é uma característica importantíssima. A taxa de atualização, que é medida em Hertz (Hz), indica a quantidade de vezes que a tela é renovada por segundo. Quanto maior a taxa de atualização, mais conforto visual o usuário terá. O valor mínimo recomendável é de 60 Hz.


Conexões

É preciso sempre verificar se o modelo de TV de plasma escolhido vem com conexões HDMI e entradas de áudio correspondentes às necessidades do usuário. Entradas do tipo USB também já estão incorporadas em alguns modelos.


Consumo de energia

Frente às TVs de LCD e LED, a TV de Plasma consome ligeiramente mais energia. Entretanto, esse aspecto é compensado justamente pelo conjunto de características citados anteriormente, sendo uma ótima opção nos tamanhos maiores.


O que é

A tela destas TVs é baseada na tecnologia de painéis de plasma, que foi aprimorada na última década para receber a tecnologia HDTV (televisão de alta definição). O funcionamento da TV Plasma consiste na ionização de gases nobres (plasma) contidos em pequenas células revestidas de fósforo. Nesses painéis de plasma, cada pixel é formado por três células, que se responsabilizam pelas cores vermelha, azul e verde.


Diferente das telas de LCD, que possuem limitação de ângulo de visão, as TVs de Plasma oferecem uma vista semelhante aos antigos aparelhos de tubo (CRT). Os televisores de plasma têm tela plana (superfície de visibilidade plana), tamanhos que chegam a 150 polegadas e resoluções de até 4000x2000p. Essa combinação de fatores contribui para a excepcional reprodução de cores e imagens, potencializada pelo display widescreen (projeção de cinema). As telas têm espessura fina, mas não se comparam aos modelos em LCD, LED e OLED.


Alguns modelos de TVs de Plasma mais antigos podem apresentar o chamado efeito burn-in, que progressivamente pode deixar a tela do televisor com manchas causadas por imagens exibidas excessivamente, quase sempre em seus cantos. Os modelos mais recentes são capazes de minimizar a probabilidade de surgimento dessas manchas.


Características

Os televisores de Plasma emitem menos luz e, por essa razão, não são indicados para ambientes externos ou muito iluminados, caso contrário as imagens ficarão opacas.


A quantidade de brilho da TV de Plasma deve ser superior a 1.000. Esse valor é baseado na certificação mundial para definição de brilho. Contudo, ela é diferente entre os televisores. Vale lembrar que quanto maior a quantidade de brilho, maior a qualidade ao reproduzir imagens e vídeos. O conceito também se encaixa na quantidade de contraste, que, no caso do Plasma, deve ser superior a 10.000.


As cores são bem reproduzidas e existe uma vasta quantidade de tons, que potencializam a exibição de filmes. Em ambientes com luz ajustada, o desempenho é ainda melhor. O home theater combina perfeitamente com a TV de Plasma, onde é possível assistir a filmes com alta qualidade e enxergar detalhes gráficos imperceptíveis em televisores comuns (CRT). O contraste também influencia na qualidade das imagens. Como os pixels são formados individualmente, a correção das cores é perfeita. Sem contar que os televisores de Plasma têm maior ângulo de visibilidade, o que permite assistir à TV de qualquer canto da sua sala sem perder qualidade.


As TVs de Plasma são uma ótima opção para quem deseja assistir a filmes e jogar videogame, pois sua alta definição proporciona mais realismo gráfico. Vídeos e imagens de baixa resolução acabam apresentando falhas em telas de LCD, por conta de sua extrema nitidez.


Marcas

LG

A LG é uma empresa sul-coreana fundada em 1947. Atua em áreas segmentadas, como química, energia, maquinaria, metais, finanças, eletrônicos, periféricos, dispositivos móveis, serviços, entre outros. A linha de TVs de Plasma LG tem modelos de 42 a 60 polegadas.


Panasonic

A Panasonic, criada em 1918 no Japão, fabrica produtos eletrônicos, como televisores, aparelhos de som, rádios, entre outros. A marca está no Brasil desde 1967 e concentra suas atividades na fabricação de pilhas alcalinas, equipamentos eletrônicos e para telecomunicações. A linha de TVs de Plasma da Panasonic tem modelos de 42 a 58 polegadas.


Samsung

A Samsung é uma empresa sul-coreana fundada em 1936. A produção da empresa inclui produtos como computadores, dispositivos móveis, televisores, entre outros. A linha de TVs de Plasma Samsung tem modelos de 43 a 64 polegadas.


TV Plasma ou LCD?

Ao compararmos esses dois tipos de TV, devemos levar em conta principalmente o ambiente no qual será colocado o aparelho.


Por apresentar brilho mais intenso, a TV LCD apresenta resultados melhores do que a TV Plasma em ambientes mais iluminados e, por essa razão, também sofre menos efeitos de reflexos.


Entretanto, quando falamos sobre o contraste, as TVs de Plasma apresentam nuances de preto muito mais intensas que as TVs LCD. Essa diferença de contraste é principalmente ressaltada em filmes ou cenas com predomínio de penumbra.


Outro fator que pesa contra os televisores com tecnologia LCD é o ângulo de visão, que nesse tipo de TV é bastante limitado. Conforme o espectador se movimenta em relação ao centro da tela, a imagem pode perder precisão nas cores, contraste ou até mesmo escurecer. Cada tamanho de tela ainda possui uma distância mais adequada a ser observada para visualização.


Além disso, TVs LCD são comparativamente mais caras que as TVs Plasma e não alcançam os tamanhos disponíveis do segundo tipo.


A Maior TV Plasma do Mundo

Em janeiro de 2010, a Panasonic apresentou ao mercado o maior televisor de Plasma do mundo. Esta é a maior TV 3D já fabricada, com tela de 152 polegadas. E não se trata somente de tamanho, a resolução desse aparelho supera em quatro vezes o formato Full HD. Este modelo supera em duas polegadas o aparelho fabricado em 2008 pela mesma marca. Veja o vídeo e confira a qualidade da imagem do aparelho.




Como Escolher TV LCD

Escolher uma TV passou a ser uma situação um pouco mais difícil com a chegada das recentes tecnologias. Já estão no mercado os televisores que antes pareciam coisa de ficção científica.


A TV LCD apesar de não ser muito recente apresenta características que podem confundir o usuário desinformado. A sigla LCD (Liquid Crystal Display, no inglês) designa o tipo de tecnologia utilizado para produzir a imagem vista na tela.


Uma característica natural desse tipo de tecnologia é a limitação quanto ao ângulo de visão. Os primeiros modelos de TV LCD chegaram ao mercado com ângulo de visão de apenas 90°. Hoje já é possível encontrar modelos com até 178° de ângulo de visão. Por isso é importante verificar esse detalhe antes de comprar o TV LCD.


Tamanho

É importante que usuário saiba que o tamanho da TV LCD deve sempre corresponder à área na qual o televisor vai ficar instalado. Para assistir mais confortavelmente à TV, o usuário tem de concentrar-se no tamanho e no posicionamento do aparelho em relação à distância. Esse é um dado que deve ser calculado proporcionalmente, de maneira que quanto maior for o ambiente, maior deverá ser o tamanho da TV LCD. É mais recomendável que esta informação seja checada diretamente com o fabricante por meio do manual de instruções do aparelho.


As TVs LCD têm grande abrangência quanto ao tamanho e variam de 19 a 52 polegadas. Isso faz com que elas sejam as TVs mais versáteis do mercado.


Resolução

Se o usuário prioriza qualidade de imagem é importantíssimo que ele se atente principalmente à resolução da TV LCD. A resolução é a característica que determina a quantidade de pontos que compõem a imagem. Cada um desses pontos é chamado de Pixel e quanto maior for a quantidade deles, melhor será a resolução e consequentemente a qualidade da imagem. Os Pixels estão arranjados em linhas horizontais e verticais, de forma que o padrão de resolução 1280 x 1024 apresenta 1280 pontos dispostos na linha horizontal e 1024 pontos na vertical.


O padrão de imagens HD Ready, adotado por algumas TVs LCD, chega a ter 1366 x 768 pixels no máximo. Já o padrão Full HD, utilizado na reprodução dos discos de Blu-Ray, tem cerca de 1920 x 1080 pixels. Essa grande diferença também faz com que o preço dos televisores também seja bastante diferente.


Para aproveitar ao máximo o potencial de imagens com uma TV LCD, é preciso contar com a melhor resolução, portanto é melhor que o usuário queira gastar um pouco a mais com um televisor Full HD na hora de compra uma TV LCD.


Conexões

Utilizando as entradas do tipo USB e HDMI o usuário pode conectar outros dispositivos à TV LCD, ampliando ainda mais as possibilidades de entretenimento. A entrada HDMI permite que conectar principalmente os equipamentos que transmitem imagens em altíssima definição.


Consumo de energia

Uma outra grande diferença com relação à TV LCD é o seu reduzido consumo de energia elétrica. Se o usuário ainda possui um antigo televisor de tubo (CRT), logo vai notar a diferença em sua conta de energia quando instalar a TV LCD.